domingo, 4 de outubro de 2015

E ai acabaram junho, julho, agosto e setembro.
Outubro chegou e ai eu fiz aniversario. Fiz anos, muitos anos. Cinqüenta e nove. Pensei em um determinado momento que eram trinta e seis, quarenta e poucos, mas nada, eram mais. E no meu coração eu me sentia uma garota, uma mulherzinha jovem e ativa e uma senhora.
Assumi meus cabelos brancos, minha cor pálida e mantenho meu espirito ativo. Decididamente sou uma senhora por fora e por dentro.
Tenho meus hábitos, meus medos e minhas arbitrariedades tremendamente coerentes a minha idade.
Minha juventude ficou la atras, foi vivida intensamente e se sou alegre, ativa e enérgica nao tem nada haver com ser jovem por dentro. Tem haver com estar viva. Viva em todos os angulos e esferas.
Sou uma pessoa moleque, debochada e cinica. Creio que tenho sido assim ao longo de minha vida e posso garantir que estes adjetivos nao tem nenhuma ligacao com a juventude.
Convivo com criancas e adolescente muito rabugentos, pessimistas e cansados. Seria uma velhice precoce? Nao, decididamente nao. Sao pessoas com caracteristicas proprias.
O que percebo com uma enorme satisfacao sao os simbolos. Os rotulos. E como ja uso o chapeu roxo tem tempo, nao importo. Com certeza nunca me importei.
Enfim, aqui estou em em contagem regressiva para os meus sessenta anos.
Com um medo enorme de nao chegar la.
Medo, medo. Sempre tive medo. E se estes medos me paralisaram muitas vezes, se me impediram de crescer e curtir, tambem me protegeram muito.
O riso solto e o medo sao meus. Fazem parte do meu programa. Da minha identidade.
Assim como uma futilidade meio consumista, uma igenuidade meio patetica e outras caracteristas que fazem ser o que sou.
Mudei muito ao longo de minha vida, porem olhando para tras, so me aprimorei nos dons que ganhei de Deus quando desci para ser a Flavia que sou.
O grande barato talvez seja isto.
Sou uma pessoa do mundo e atual. Contemporanea. E comum.
Simples, facilzinha tambem.
Ontem no meu mural do Facebook, esta rede social dos nossos tempos, tive muitas mensagens de feliz aniversario. Umas engracadas, outras comoventes, poucas protocolares.
E pensei em juntar minha contagem regressiva com um acrescimento a cada um destes meus amigos, uns tao virtuais outros tao presentes.
Assim vai ser, do primeiro ao ultimo vou postar uma mensagem e os dias que faltam para os sessenta.
Se vai vingar, se vai resultar, nao sei.
Aprendi tambem que nao sou uma pessoa previssivel e as vezes, nem tao confiavel.
E vamos que vamos, pois o dia de hoje ja acabou tem tempo.