quarta-feira, 17 de setembro de 2008

Eu Crio

Eu crio


Crio em função da saudade,
na adversidade e no desafio.
Crio na verdade, por pura necessidade
de transbordar o que sinto.
Crio porque está quente
ou porque sinto frio.
Crio porque sinto fome,
náusea, ansia ou desatino.
É a fertilidade do meu ventre,
É o fruto do meu cio.

Morena